Como selecionar os desenhos para o seu filho?

June 18, 2019

São tantas opções para a primeira infância que os pais ficam sem saber quais desenhos são mais adequados. Além disso, vale lembrar que crianças menores de 18 meses não devem ser expostas a nenhum tipo de tela, como alerta a Academia Americana de Pediatria. A presença dos pais ao lado é importante para explicar o que o filho está vendo, provocar reflexões e para que ele faça desta uma experiência menos passiva e tenha uma participação ativa sobre o conteúdo apresentado. TV aberta, canal pago e opções como Youtube estão sujeitos a publicidade na programação e, isso, por si só, já é um sinal de alerta.

Abaixo, temos alguns exemplos de desenhos que são os mais indicados para os pequenos na hora de assistir televisão.

 

Mundo Bita                                                

Clipes musicais, com ilustrações muito bonitas e coloridas, letras bem elaboradas e mensagens positivas e educativas ou simplesmente divertidas sobre o dia a dia, o corpo humano, os animais e as brincadeiras. Não tem história, são apenas clipes curtinhos com músicas, para essa fase em que os pequenos se interessam mais pelas trilhas do que pelas histórias.

 

Masha e o Urso

Baseado no conto de fadas de Cachinhos Dourados, essa animação russa é cheia de mágica e aventuras, com lindíssima trilha sonora de orquestra. Masha é muito levada e sei que haverá um grupo dizendo que ela ensina maus hábitos às crianças, mas ela também tem um carinho imenso pelo urso, que representa uma figura paternal, e a ternura e afeto entre os dois é comovente. Os pais se identificam muito com o urso, algumas vezes.

 

Backyardigans

Além de ter historinha, esse desenho é lotado de músicas, cantadas pela própria trupe de personagens, que ainda por cima fazem coreografias para acompanhar.

 

Charlie e Lola

Mostrando o relacionamento do irmão de 7 anos com a irmãzinha de 3 e os aprendizados dos dois no dia a dia, o irmão mais velho ensina e guia a irmã em experiências que ele já conhece. Os pais deles não aparecem na série, por isso as crianças podem aprender a resolver situações com criatividade. A série, além disso, ensina valores como amizade e solidariedade entre irmãos.

 

Dora, a Aventureira

Para os pais, o bilinguismo da série é o principal atrativo. Na versão brasileira, Dora fala português e ensina as crianças que a assistem a falar palavras e breves frases em inglês. Há conversas com o telespectador durante quase todo o desenho, inclusive com pausas para que a criança que assiste possa repetir as palavras em inglês. O desenho é interativo e prende a atenção da criança. Também é indicado para crianças com autismo, devido aos apoios visuais durante essa comunicação dos personagens. Seu grande sucesso é resultado de uma boa combinação entre entretenimento, educação e transmissão de valores. A natureza e os animais são elementos que estão muito presentes no desenho, sendo uma grande contribuição para sensibilizar as crianças que vivem em meios urbanos. As músicas e os temas musicais fortalecem as habilidades da audição e da memória, e a série chama a atenção para a importância da cooperação e do trabalho em equipe, já que os personagens que aparecem têm a atitude de ajudar as pessoas. Dora, nos vários caminhos que percorre, conhece outras culturas e, em relação a cada uma, assume uma posição de curiosidade e respeito. Dessa maneira, ela comunica às crianças uma perspectiva multicultural, na qual as diferenças não são fonte de conflito, mas de complementação.

 

Show da Luna

Luna é uma garota de seis anos que ama ciências e é muito curiosa. A cada episódio há uma descoberta a ser realizada, o que pode acontecer no seu próprio quarto, no quintal de casa ou em qualquer lugar onde esteja brincando. Ela sempre envolve seu irmão menor, Júpiter, de 4 anos, em suas aventuras, e junto dele vêm o furão de estimação da família, chamado Cláudio. A série é uma produção nacional e o foco está claramente na iniciação científica voltada à crianças em idade pré-escolar. Etapas básicas do método científico, como a observação, a experimentação e a formulação de hipóteses, são apresentadas em praticamente todos os episódios.

 

Lembrando que, assistir TV demais não faz bem, isso todo pai e mãe sabe. Mas, uma análise cuidadosa revela que muitos dos desenhos animados produzidos nas últimas décadas têm enorme potencial educativo. Comparados às atrações infantis mais populares das décadas de 90 ou 80, os desenhos atuais são bastante superiores quando se julga a capacidade dos mesmos de contribuir para aquisição de competências e habilidades, normalmente trabalhadas no ambiente escolar. E a melhor parte é que eles têm feito isso de modo divertido e atraente às crianças. Os pequenos estão em fase de aprendizado constante, por isso, é importante deixá-los brincar e aprender com atividades diárias. Assistir desenhos animados é uma forma de entretenimento educativo.

Existem inúmeros desenhos, mas o mais importante é escolher aqueles que acrescentam algo de positivo, não apenas hipnotizam. Aqueles que divertem, entretêm e ainda ensinam.

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square