Anemia Falciforme e Células Tronco

As anemias constituem as doenças do sangue mais frequentes. O termo anemia significa redução da hemoglobina (proteína que realiza a captação do ferro e o transporte de oxigênio). As anemias podem ser causadas por deficiência de vários nutrientes como ferro, zinco e vitamina B12, além de também poderem ser hereditárias.(3,2)
 

Geralmente, produzem sintomas como palidez, fraqueza, peles e mucosas ressecadas. Já seu tratamento deve variar conforme a sua causa. Dentre os vários tipos de anemia, está a anemia falciforme também conhecida como doença falciforme (DF), que é caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue, tornando-os parecidos com uma foice, daí o nome falciforme. Essas células apresentam membrana alterada que se rompem com maior facilidade.(2)
 

O reconhecimento de que a anemia falciforme é uma doença prevalente no Brasil foi determinada em 2016 pelo Ministério da Saúde. Estima-se que 4% da população brasileira tenha o traço falciforme e que 25.000 a 50.000 pessoas tenham a doença. Esta prevalência varia entre os Estados(3).
Os pacientes com DF apresentam altos índices de morbidade e mortalidade, principalmente nos países em desenvolvimento. Mesmo nos países desenvolvidos, embora a mortalidade nas crianças, tenha diminuído, a DF ainda é causa significativa de mortalidade em adolescentes e adultos. (1,4)

 

Estudos demonstram que principalmente as crianças, com essa doença,  são beneficiadas com o transplante de células-tronco hematopoéticas. Foi realizada uma análise com 44 pacientes com doenças relacionadas ao sangue, incluindo 11 pacientes com doença falciforme, e observou-se que a probabilidade de sobrevida livre de eventos é de 90%, para crianças falciformes, após dois anos do transplante de células-tronco hematopoéticas (TCTH) do cordão umbilical, com compatibilidade total entre doador e receptor. A medula óssea e sangue periférico mobilizado também são fontes de células- tronco hematopoiéticas e também podem ser utilizadas caso seja neessário. Transplantes como estes e com sangue do cordão umbilical podem ser uma alternativa para pacientes gravemente acometidos. (2,4)
Os benefícios observados com transplante são notórios e levou a inclusão dessa possibilidade de terapia no SUS, de forma que,  pacientes que se encaixem nos critérios definidos podem ter acesso a esse transplante inclusive na rede pública de saúde brasileira (5).

1 - Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente 3(1):39-61, jan-jun, 2012
2- Transplante de células-tronco hematopoéticas (TCTH) em doenças falciformes Hematopoietic stem cell transplantation in sickle cell anemia
3- Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas Doença Falciforme / ago 2016 – Ministerio da saúde 
4- Prática de enfermagem em transplante de células-tronco hematopoéticas 
5 – Portaria 1321, 21 de dezembro de 2015- http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2015/prt1321_21_12_2015.html

Cellpreserve - Centro de Biotecnologia

Endereço: Av. das Américas, 3434 - Bl. 2 - Lj. 104 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ  |  CEP: 22640-102 

Tel.: (21) 3431 3700  

(21) 99959-4043

(31) 99614-0355 | (27) 998963453
0800 282 3700 

contato@cellpreserve.com.br

NOVIDADE

Teste de Compatibilidade Familiar

CELLPRESERVE

A Cellpreserve possui certificado do Conselho Federal de Medicina, aprovação da Vigilância Sanitária e importantes certificações nacionais e registro internacional como: ISO 9001, ONA E FDA que conferem maior rigor técnico no tratamento das amostras dos clientes. Clique e confira!

CERTIFICAÇÕES: